top of page

PUBLICIDADE

Live Monstro- Como foi a Glass South America 2022?



Imagem: JV-TV


Nesta quinta-feira (7) o Jornal do Vidro realizou mais uma live na JV-TV e em sua fanpage, às 20h com o objetivo de entender como foi a Glass South America para os participantes. Os convidados foram o sócio fundador do Setor Vidreiro, Gabriel Batista, Ricardo Câmara da Central do Vidraceiro, Gleison Sousa, criador do canal “É Nóis Montagens e Manutenções”, o consultor em vidros e esquadrias de alumínio, Cirilo Paes, Fernando Simas CMO na JBarbosa Acessórios, e Daniel Estrela que é empreendedor do setor vidreiro que presta consultorias online e in loco para vidraceiros, serralheiros, empresas, nas áreas técnicas, administrativas, gestão de pessoas.



Cirilo, que esteve presente nos stands da Glasspeças, Vidro na Obra e da Udinese disse que o primeiro dia da feira foi ótimo. "Eu vi todos os stands cheios”. Daniel Estrela do Vidro na obra disse que o objetivo do stand era um espaço de convívio para o vidraceiro “ Fizeram networking também”. Gabriel Batista ficou em dois stands, além de passar imagens dele em outros, e ajudar a planejar outros disse que não tinha visto tanta gente “Passaram 3.400 pessoas no stand”. Simas que estava em sua primeira experiência na feira ressaltou “Um evento muito grande, com muitas tecnologias”, e diz que fez sorteios com empresas parceiras como a W.Vetro, além de complementar que a participação nesses eventos é importante para os negócios.


Ricardo Câmara trouxe sua vivência conduzindo o espaço Vidro em Ação, evento paralelo a Glass South America de responsabilidade da Falcão Bauer e Abravidro, trabalho feito primeiramente por Gabriel Batista “O Vidro em Ação'' veio para levar comunicação, e informação técnica. Eu definiria o Vidro em Ação nessa facilidade de acesso que podemos propor”. Gleidson frisou que foi muito gratificante. “Foi tudo de bom, experiência única”.


Cirilo Paes falou sobre a importância da indústria de máquinas fazer as soluções chegarem até os processadores, em especial as máquinas de furação com água, para os processadores oferecerem um produto melhor aos vidraceiros, e estes por sua vez disponibilizarem produtos melhores aos consumidores finais. Daniel Estrela complementou o raciocínio, afirmando que o conhecimento é importante, assim como as inovações, e a partir dos pedidos dos clientes buscou essa solução de furação com água.



Eles falaram de novidades como vidros que protegem pássaros, robôs para beneficiamento, sistemas deslizantes, e outras atrações da feira. Mas além disso, eles reforçaram a comunicação entre usinas e vidraceiros, e o respeito com os profissionais alumínio-vidreiros.


Comments


Você também pode gostar de ler sobre:

bottom of page