© 2019 Todos os Direitos reservados ao Jornal do Vidro. Produzido por Agência GUIAX

1/2

PUBLICIDADE

Dolar em alta reaquece a indústria nacional

Para reportagem publicada na edição online do Jornal Valor Econômico, no início do mês de fevereiro, a jornalista Marta Watanabe entrevistou alguns empresários que, devido a alta do dólar, optaram pela reativação da fabricação de determinados insumos, antes importados, com o objetivo de diminuir custos. Embora a ação não atinja todos os setores da indústria, empresários optantes por essa estratégia relatam uma redução no custo refletindo no cálculo do preço e na recomposição da margem de lucro do produto final.

 

Segundo Edgar Dutra, diretor da Metalplan, a desvalorização do real frente ao dólar abriu espaço para que a empresa voltasse a fabricar peças que vinha importando há três anos. Conforme Dutra, no segundo semestre de 2014 o setor de produção de componentes antes importados foi reativado, o que resultou, no fim das contas, numa redução média de 5% no custo de industrialização, sendo que, para alguns produtos, essa redução chegou a 25%.

 

Outra empresa que voltou a fabricar peças foi a Engrecon. Segundo o José Carlos Nadalini, sócio e fundador da empresa, geralmente a usinagem das peças menores era feita na própria empresa, porém, quando o dólar não estava tão valorizado era mais barato importar, cenário  que não acontece agora. Segundo ele, com o dólar valorizado o aço forjado bruto ainda é importado, porém, a usinagem é feita internamente. A vantagem dessa manobra está na redução de custos com a logística da importação e na eliminação dos riscos de ter que refazer o processo em função de defeitos, situação que ocorre várias vezes, segundo Nadalini.

 

Segundo Watanabe, os dados fornecidos pela Confederação Nacional da Indústria, até setembro de 2014, mostram que a desvalorização do real frente ao dólar fez com que o custo das importações sofresse uma alta de 1,4% nos três últimos meses do ano em comparação com o último trimestre de 2013. Segundo a jornalista, “essa alta, aliada à redução de 1,2% no custo industrial brasileiro, no mesmo período, elevou a competitividade do manufaturado nacional.”

 

Leia a reportagem completa publicada no Valor online clicando aqui

 

Fonte:www.valor.com.br/brasil/3894214/cambio-leva-empresa-substituir-importado-por-producao-nacional

seção:

Please reload

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ECG..png
ECG..png

PUBLICIDADE

METTALLFLECK..png
METTALLFLECK..png

PUBLICIDADE

Sem título-2.png

PUBLICIDADE

BOLT INOX..png
BOLT INOX..png

PUBLICIDADE

KING..png

PUBLICIDADE

NETOCOLOR.jpg

PUBLICIDADE

ANTALUM..png

PUBLICIDADE

union.png

PUBLICIDADE

INOX PAR.png

PUBLICIDADE

ALIANCA ALUMINIOS[.png

Você também pode gostar de ler sobre:

Ascevi intermédia palestra na I Semana das Engenharias em Palhoça SC para 60 estudantes de Arquitetu...

12/09/2017

Empresas italianas mostram novidades da indústria vidreira durante a Glass South America

08/06/2016

Saiba por que você não pode perder a GLASS SOUTH AMERICA

03/06/2016

USP São Carlos desenvolve vidro que muda de cor e pode camuflar objetos

01/06/2016

Níveis de blindagem automotiva

25/05/2016

Governo sinaliza irregularidade em exportações de vidros automotivos

13/05/2016

Vidro Serigrafado: Instrumento elementar ou primordial?

11/05/2016

Você conhece o Vidro Low-e?

12/02/2016

1/1
Please reload