© 2019 Todos os Direitos reservados ao Jornal do Vidro. Produzido por Agência GUIAX

1/2

PUBLICIDADE

A cobertura de vidro que você instala é segura?

                                                                         Imagem: Arquivo Jornal do Vidro

 

Já faz algum tempo que as coberturas de vidro são tendências e, cada vez mais estão entre as mais procuradas nas vidraçarias pois, além da beleza estética, ela também chama atenção pela sua economia de energia. Apesar disso, o fato de ter se tornado tão popular fez com que os acidentes se tornassem mais recorrentes por causa da instalação feita de maneira incorreta.

 

Visto isso, qual é a maneira correta da instalação de coberturas de vidro? A primeira coisa que se deve fazer é recorrer a NBR 7199, pois lá é possível sanar qualquer dúvida a respeito da execução e das aplicações de vidros na construção civil. Trouxemos aqui uma recomendação (NBR 7199/1989) muito importante da norma em relação ao vidro que deve ser utilizado, confira:

 

h) o envidraçamento de balaustradas, parapeitos, sacadas e vidraças não-verticais sobre passagem devem ser executados com vidros de segurança laminados ou aramados, salvo se for prevista proteção adequada;

 

i) no caso de utilização em claraboias ou telhados, para iluminação de passagem ou locais de trabalho, a vidraça deve ser adequadamente protegida com telas metálicas ou outros dispositivos, e, quando não o for, o vidro deve ser de segurança aramado ou laminado.

 

Segundo os trechos a cima, notamos que os vidros que podem ser utilizados são o laminado e o aramado por se tratar de uma vidraça não-vertical sobre passagem. Qual é o risco que pode correr quando não se é utilizado esses tipos de vidros? E se o vidro não for laminado ou aramado?

 

Segundo o especialista Marcos Aurélio Cardoso da AGC, esse é um ponto muito complicado pois nem todos seguem as normas e, em decorrer disso, as associações vêm tentando conscientizar os instaladores da maneira correta pois, além do risco acidental, o instalador terá que responder civil e criminalmente caso seja comprovado a negligência das normas. Ou seja, aqueles que não respeitarem as normas utilizando outro tipo de vidro e que por algum motivo venha a se fragmentar terá que responder judicialmente por todos os erros da aplicação e acidentes que possam vir a acontecer.

 

Caso o vidro não seja aramado ou laminado, é recomendável que a vidraça seja adequadamente protegida com telas metálicas ou outros dispositivos. Alguns instaladores recomendam que seja aplicado películas especiais na parte interna do vidro, mas isso realmente é seguro?

 

Segundo o especialista Marcos Aurélio é preciso seguir uma série de exigências para que essa dica seja realmente utilizada de forma segura. Primeiro, nem todas as películas terão o mesmo resultado e é preciso utilizar a correta. Segundo, a aplicação da película deve ser feita antes da instalação. Vários pontos devem ser averiguados para evitar complicações tanto para você, quanto para o cliente.

Please reload

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ECG..png
ECG..png

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Sem título-2.png

PUBLICIDADE

BOLT INOX..png
BOLT INOX..png

PUBLICIDADE

carreta do vidraceiro - jornal do vidro.

PUBLICIDADE

NETOCOLOR.jpg

PUBLICIDADE

max fer.png

PUBLICIDADE

union.png
INOX PAR.png

1/4

Você também pode gostar de ler sobre:

Você conhece o Vidro Low-e?

13/01/2020

Ascevi intermédia palestra na I Semana das Engenharias em Palhoça SC para 60 estudantes de Arquitetu...

12/09/2017

Empresas italianas mostram novidades da indústria vidreira durante a Glass South America

08/06/2016

Saiba por que você não pode perder a GLASS SOUTH AMERICA

03/06/2016

USP São Carlos desenvolve vidro que muda de cor e pode camuflar objetos

01/06/2016

Níveis de blindagem automotiva

25/05/2016

Governo sinaliza irregularidade em exportações de vidros automotivos

13/05/2016

Vidro Serigrafado: Instrumento elementar ou primordial?

11/05/2016

1/1
Please reload