© 2019 Todos os Direitos reservados ao Jornal do Vidro. Produzido por Agência GUIAX

1/2

PUBLICIDADE

A falta de vidro e o aumento do seu valor é um grande problema que vem sendo enfrentado pelos profissionais do ramo

                                                                                               Imagem: Vidro Impresso
Só em 2018 o valor do vidro sofreu reajuste quatro vezes, o que resulta em um total de 45%. Os motivos para o aumento do preço são vários porém, não estão claros, por exemplo a variação do dólar, a alta da exportação e crise dos combustíveis.

 

Alexandre Marquez, da Estação do Vidro afirma, “São muitas desculpas, porque o dólar não variou 45%. E ninguém das fabricantes se posiciona aos pequenos. Somente dizem que vai ter aumento a partir de tal data e ponto. A única coisa que nos é repassado são as folhas com comunicados de aumento”.

 

Sem aviso prévio

Entre as reclamações está a de que o comunicado sobre o preço aumentar é feita com pouca antecedência, comprometendo o planejamento das empresas. “Se as fábricas tivessem no mínimo o posicionamento de alertar aumentos dois meses antes, o que ainda sim seria meio complexo trabalhar, teríamos ainda demanda de estoque. Teve vez que o preço do vidro ia subir 17% e comunicaram na sexta que subiria na segunda. Assim não há quem aguente, nem eu, pequena vidraçaria, nem a têmpera, nem a distribuidora”, diz Marques.

 

Falta vidro

Além dos aumentos do preço do material, o mercado está enfrentando a falta do vidro.

“Está faltando vidro temperado bronze, temperado fumê, laminados coloridos. Falta das fábricas e o beneficiador não consegue abastecer o mercado. Não tem vidro, as usinas não estão produzindo. É muita falta de matéria-prima, eles estão exportando e não estão abastecendo o mercado interno. Volta e meio recebo informativos de várias têmperas avisando sobre as faltas e qual a produção prevista. Assim não tem como se planejar. Todas as têmperas estão tendo dificuldade para obter material. O problema é generalizado. Estamos com falta de vidro fumê 10mm, a previsão de fabricação é somente para dezembro”, afirma Rosita da CB Esquadrias.

 

Venda casada

Marquez diz que a falta do vidro está interferido no preço do material e causando a venda casada, o que acaba sendo mais um problema. “Houveram casos em que vendemos e tivemos que implorar para que um fornecedor nos entregar a preços às vezes absurdos, ou em vendas casada. Está muito forte a prática da venda casada, a empresa te vende o vidro bronze, porém você tem que comprar mais uns metros de outros vidros, senão eles não vendem, e te deixam isso muito claro. Normalmente quem tem, por exemplo, vidro fumê 10mm, está praticando isso, te vende o fumê, mas você tem que pegar o incolor e o verde também”.
 

Fonte: http://www.vidroimpresso.com.br/noticia-setor-vidreiro/aumentos-sucessivos-do-preco-do-vidro-preocupam-mercado

Please reload

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ECG..png
ECG..png

PUBLICIDADE

METTALLFLECK..png
METTALLFLECK..png

PUBLICIDADE

Sem título-2.png

PUBLICIDADE

BOLT INOX..png
BOLT INOX..png

PUBLICIDADE

KING..png

PUBLICIDADE

NETOCOLOR.jpg

PUBLICIDADE

ANTALUM..png

PUBLICIDADE

union.png

PUBLICIDADE

INOX PAR.png

Você também pode gostar de ler sobre:

Você conhece o Vidro Low-e?

13/01/2020

Ascevi intermédia palestra na I Semana das Engenharias em Palhoça SC para 60 estudantes de Arquitetu...

12/09/2017

Empresas italianas mostram novidades da indústria vidreira durante a Glass South America

08/06/2016

Saiba por que você não pode perder a GLASS SOUTH AMERICA

03/06/2016

USP São Carlos desenvolve vidro que muda de cor e pode camuflar objetos

01/06/2016

Níveis de blindagem automotiva

25/05/2016

Governo sinaliza irregularidade em exportações de vidros automotivos

13/05/2016

Vidro Serigrafado: Instrumento elementar ou primordial?

11/05/2016

1/1
Please reload