© 2019 Todos os Direitos reservados ao Jornal do Vidro. Produzido por Agência GUIAX

1/2

PUBLICIDADE

Alta nas vendas do comércio é afirmação ou ponto fora da curva?

   Na edição anterior da minissérie sobre a situação dos varejistas e prestadores de serviços frente à crise econômica, falamos um pouco sobre a crise de 2008, o que os profissionais fizeram para escapar dela, falamos também sobre a atual crise e as dificuldades enfrentadas. Na matéria de hoje vamos discorrer um pouco mais sobre os mecanismos que podem afastar o comerciante ou profissional da crise que tanto prejudica vendas e serviços. Primeiramente, podemos salientar que fomos surpreendidos pelos resultados divulgados recentemente, que sinaliza alta nas vendas do comércio varejista brasileiro no mês de fevereiro, em comparação ao mês anterior, que foi tido como base para a matéria escrita anteriormente. A alta é de 1,2%, segundo o Instituto de Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  Este é o melhor mês de fevereiro para o comércio desde 2010, quando atingiu 2,7% em vendas. Levando em consideração todos os meses, o avanço nos números é o mais significativo desde julho de 2013, no período o crescimento havia sido de 3%. Ora, esse aumento nas vendas é um sinal de melhores perspectivas ou foi um ponto fora da curva? Para o economista Pedro Paulo Silveira estes números não devem ser tão comemorados assim. Ele afirma que, apesar do anúncio na mudança do comportamento nas vendas terem subido, pegou todo mundo de surpresa, pois, no ano, o varejo acumula variação negativa que alcança o número de 7,20%.

   A recessão econômica, tão discutida nas mídias, contribuiu na queda do comércio de forma consistente desde o final de 2014. Ainda segundo o economista, o comércio indica principalmente o “Consumo das Famílias”, que representam 60% do PIB, e mostra como que a recessão “sofre” influência direta pelo sacrifício aos quais às famílias têm se submetido. Um grande exemplo disso são os supermercados, que representam os consumos mais essenciais e está em queda livre nos últimos meses, atingindo números negativos em 7%, representando o atual momento que o país vive. Nesse momento de crise é muito importante que os profissionais, prestadores de serviço e os varejistas, atentem para as melhores soluções para conseguir se desviar desse momento turbulento. Ter muita cautela nas decisões comerciais é um ponto importantíssimo, dar prioridade aos clientes já conquistados também auxilia na segurança do faturamento, que garante quase sempre as vendas cruciais do mês. Investir na comunicação, buscar conhecer melhor o cliente e cortar as despesas sem abdicar das qualidades são algumas missões, não impossíveis, para manter o seu comércio ou serviço vivo e sonhando com dias melhores.

Please reload

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ECG..png
ECG..png

PUBLICIDADE

METTALLFLECK..png
METTALLFLECK..png

PUBLICIDADE

Sem título-2.png

PUBLICIDADE

BOLT INOX..png
BOLT INOX..png

PUBLICIDADE

KING..png

PUBLICIDADE

NETOCOLOR.jpg

PUBLICIDADE

ANTALUM..png

PUBLICIDADE

union.png

PUBLICIDADE

INOX PAR.png

Você também pode gostar de ler sobre:

Você conhece o Vidro Low-e?

13/01/2020

Ascevi intermédia palestra na I Semana das Engenharias em Palhoça SC para 60 estudantes de Arquitetu...

12/09/2017

Empresas italianas mostram novidades da indústria vidreira durante a Glass South America

08/06/2016

Saiba por que você não pode perder a GLASS SOUTH AMERICA

03/06/2016

USP São Carlos desenvolve vidro que muda de cor e pode camuflar objetos

01/06/2016

Níveis de blindagem automotiva

25/05/2016

Governo sinaliza irregularidade em exportações de vidros automotivos

13/05/2016

Vidro Serigrafado: Instrumento elementar ou primordial?

11/05/2016

1/1
Please reload