© 2019 Todos os Direitos reservados ao Jornal do Vidro. Produzido por Agência GUIAX

1/2

PUBLICIDADE

Porque existem dois tipos de juntas de ferragens

 

A coluna Saber deste mês teve uma motivação especial para selecionar o tema a ser tratado. Nós recebemos alguns questionamentos em relação ao uso de cortiça emborrachada ou cortiça de PVC nas ferragens de alumínio, feitos pelo leitor Aguinaldo Nunes, lá de Criciúma, em Santa Catarina. Ele gostaria de saber por que as juntas de ferragens para vidro temperado são de cortiça emborrachada, quais as vantagens em ser de PVC ou cortiça e porque vários instaladores ainda preferem as juntas de cortiça emborrachada.

 

Para tentar responder aos questionamentos do Aguinaldo, fomos conversar com Cleverson Melnisk, gerente comercial da Pacre Indústria de Ferragens. Ele explicou que a instalação correta e o bom funcionamento das ferragens dependem de um material que promova a aderência entre o vidro e a peça metálica. Inclusive, “essa aderência é que torna a instalação segura e confiável”, ressaltou o gerente. Durante muito tempo, o único material utilizado para contribuir na fixação das fechaduras e dobradiças para vidro foi a popular cortiça emborrachada. Como o próprio nome já diz, o material é composto por borracha e pela matéria de origem vegetal, extraída da casca dos sobreiros, denominada cortiça, cuja principal qualidade é sua capacidade isolante. O manuseio da manta de cortiça emborrachada é bastante simples. O recorte das peças que compõem a ferragem para vidro pode ser feito manualmente, com a ajuda de um gabarito, sem maiores dificuldades. Há também métodos mecânicos, que utilizam uma espécie de rolo compressor, automatizando um pouco mais o processo.

 

Porém, nos últimos anos, a indústria de ferragens passou a utilizar um material sintético transparente, popularmente conhecido como cortiça de PVC, por ser feito a base de PVC, e fabricado através do processo de injeção do plástico. Conforme o gerente comercial da Pacre, são duas as razões para essa mudança: a questão estética e a maior precisão no corte e tamanho das peças de cortiça. Segundo ele, os próprios consumidores passaram a recusar a cortiça emborrachada devido à aparência final da ferragem instalada. Como o material é na cor preta, a presença da cortiça fica bem evidente quando a ferragem não é da mesma cor. Portanto, do ponto de vista estético, a cortiça incolor tem a vantagem de criar um aspecto final “uniforme e integrado com o conjunto da obra”, define o gerente. Outra vantagem da cortiça de PVC é a precisão de tamanho. Como seu processo de fabricação, na maioria das vezes, é totalmente automatizado, há uma exatidão total no tamanho das peças, promovendo o encaixe perfeito. Essa foi a solução para a queixa constante dos instaladores de que “o formato da cortiça emborrachada, muitas vezes maiores do que as peças, necessitavam de ajustes no momento da instalação”, explica Cleverson.

 Hoje em dia, cortiça emborrachada e cortiça de PVC convivem pacificamente e é possível encontrar com facilidade ferragens com quaisquer dos dois tipos de juntas. Isso acontece por vários fatores. Um deles é o custo de fabricação da cortiça emborrachada, que ainda é bem menor e mais simples que o da cortiça de PVC. Outra questão é a aceitabilidade e a adaptabilidade da cortiça de PVC às várias regiões do país. Conforme Cleverson, há três anos, quando a Pacre lançou o novo produto, foram enfrentadas algumas dificuldades. Devido ao clima de certas regiões do país ser mais quente ou mais frio, ocorreram interferências no desempenho da cortiça de PVC. Para resolver o problema, foram feitos ajustes e testes com novas combinações de materiais, “até que conseguimos chegar à combinação atual, atendendo a todas as regiões do país”, comemora o gerente que atualmente comercializa somente ferragens com cortiça de PVC. 

 

Em relação à preferência de alguns instaladores pela cortiça emborrachada, Cleverson arrisca que, provavelmente, isso se deve à maior facilidade de ajustar a ferragem ao vidro usando a cortiça emborrachada. Como ela gruda menos no vidro, é mais fácil deslizá-la para encontrar o encaixe perfeito. Entretanto, o gerente da Pacre alerta que essa facilidade não compensa, em longo prazo, o fato de que a instalação pode exigir mais manutenções do que uma em que se usou a cortiça de PVC. Como a cortiça emborrachada possui menor aderência, é natural que uma instalação que a utilize necessite de novas regulagens e manutenções, num prazo menor que o daquela que usou cortiça de PVC. Ou seja, apesar da aderência ser uma coisa chata de lidar, ela é muito necessária para uma instalação de qualidade duradoura. 

Please reload

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ECG..png
ECG..png

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Sem título-2.png

PUBLICIDADE

BOLT INOX..png
BOLT INOX..png

PUBLICIDADE

carreta do vidraceiro - jornal do vidro.

PUBLICIDADE

NETOCOLOR.jpg

PUBLICIDADE

max fer.png

PUBLICIDADE

union.png
INOX PAR.png

1/4

Você também pode gostar de ler sobre:

Você conhece o Vidro Low-e?

13/01/2020

Ascevi intermédia palestra na I Semana das Engenharias em Palhoça SC para 60 estudantes de Arquitetu...

12/09/2017

Empresas italianas mostram novidades da indústria vidreira durante a Glass South America

08/06/2016

Saiba por que você não pode perder a GLASS SOUTH AMERICA

03/06/2016

USP São Carlos desenvolve vidro que muda de cor e pode camuflar objetos

01/06/2016

Níveis de blindagem automotiva

25/05/2016

Governo sinaliza irregularidade em exportações de vidros automotivos

13/05/2016

Vidro Serigrafado: Instrumento elementar ou primordial?

11/05/2016

1/1
Please reload